AGENDA: Marcha da Liberdade + Marcha das Vadias

Neste final de semana acontecem em Brasília duas marchas que estão agitando o país: a Marcha da Liberdade e a Marcha das Vadias.

A primeira tem o intuito de agregar as mais diferentes lutas por liberdade – liberdade de expressão, liberdade de menifestar orientação sexual, liberdade racial, marcha da maconha, etc. – em um só movimento.

A Marcha acontecerá simultaneamente em várias cidades brasileiras neste sábado, 18 de junho. Aqui em Brasília a concentração será a partir das 14h na Torre de TV.

Marcha da Liberdade - Brasília

No mesmo dia 18 de junho acontece também a Marcha das Vadias (Slut Walk) em Brasília e Belo Horizonte.

O Slut Walk foi criado após um representante da polícia do Canadá ter declarado que as mulheres deveriam evitar se vestir como vadias para não serem vítimas de estupro. As declarações causaram revolta e geraram um grande movimento organizado na internet, que começou no início de abril com o protesto de Toronto e já aconteceu até agora em mais de 20 cidades norte-americanas e australianas.
Dia 4 de junho aconteceu também em Los Angeles, Chicago, Edmonton, Estocolmo, Amsterdã, Edimburgo e a primeira do Brasil em São Paulo! Dia ocorreu 11 em Recife.

Aqui em Brasília, a concetração será a partir do meio-dia na pracinha em frente ao Conjunto Nacional. A Marcha seguirá pelo Eixo Monumental e se encontrará com a Marcha da Liberdade.

As duas juntas saem da Torre pelo Eixo Monumental em direção ao Museu da República.

Participe e divulgue!!!!!!!!!

Anúncios

Sobre Nina Puglia
Produtora da banda Ape X And The Neanderthal Death Squad, cantora, geógrafa pesquisadora da área cultural e integrante do Coletivo Esquina

8 Responses to AGENDA: Marcha da Liberdade + Marcha das Vadias

  1. Deus é amor ! Paz e amor ! says:

    Estava la…Muito importate tal iniciativa, não podemos mais conviver com preconceitos, abusos sexuais, e hipocrisia !

  2. Rônei says:

    Sei, já li essa história do policial canadense, blablablá…. Realmente foi uma declaração infeliz, mas os estupros no Brasil se dão por outros motivos, nossa realidade é bem mais cruel do que a do Canadá.

    Aqui, as mulheres são estupradas quando voltam do trabalho, da faculdade, por falta de iluminação e segurança pública, por não existir presença do Estado nos bairros da periferia. As mulheres brasileiras são violentadas dentro de casa, por maridos alcoólatras ou drogados. São estupradas porque moram nas ruas, sem nenhuma assistência e contando apenas com a própria sorte pra sobreviver.

    Muito bonitinho esse bando de burguês se mobilizar por fatos canadenses e ignorar por completo a realidade social de seu país.

    Mas, como eu disse antes, não dá pra esperar muita coisa de ativistas classe média de Cinemark….

    Agora, qual o objetivo dessa marcha mesmo? Conscientizar os estupradores?

    • Nina Puglia says:

      Rônei,

      Você realmente tem razão em seu argumento. O que eu chamo atenção é para a crítica que você faz por trás dele.

      As realidades são diferente sim e comparações são sempre complicadas. Os motivos que levam ao estupro aqui de fato podem não ser os mesmos. Mas o comportamento dos homens para com as mulheres e os comentários sobre a maneira de vestir ou qualquer outro que são geradores de culpa nas mulheres que são assediadas ou estupradas é exatamente igual. E pra esse tipo de coisa, pouco importa mesmo a classe social, a cor, a nacionalidade ou a idade. Talvez você mesmo faça comentários do tipo e talvez nem perceba, porque, em geral, homens fazendo piadas e comentários pejorativos sobre mulheres e gays, por exemplo, é socialmente aceitável, né…
      E, me desculpe, mas só quem é mulher entende o que é se sentir desrespeitada apenas por causa de uma roupa.

      Não sou panfletária de nenhum grupo específico, mas não acho menos legítimo que mulheres “burguesas” (para usar a sua palavra) – que estão entre as que são estupradas saíndo da escola, faculdade ou trabalho porque são obrigadas a passar por lugares mal iluminados para chegar ao carro ou ao ponto de ônibus ou caminhar até em casa, ou que tem maridos alcoolatras e/ou drogados (que palavra feia, hein!) – façam um protesto em prol de seus direitos. O que importa é trazer o assunto à tona.
      E mais: o fato de partir de um grupo “abastardo” da sociedade não impede que qualquer outra PESSOA, seja rica, pobre, moradora de rua, desempregada, analfabeta, negra, homem, mulher, idosa, criança, homossexual, vegetariana, de esquerda, de direita, brasileira, canadense, etíope ou chinesa se identifique com o tema e se junte ao grupo. A coisa vai acontecer ali, na rua, em um local público e acessível.

      Gente alienada tem em todas as classes sociais, Rônei. Assim como tem o “burguês classe média de Cinemark” do Plano Piloto, que tem acesso a tudo e que não sabe nem pra que lado fica Taguatinga, tem o morador da periferia, que em tese vive a “realidade social” nua e crua, que mesmo quando tem mais acesso que a maioria de seus pares, também se omite de qualquer causa. Quem é “pior” que quem?

      E, se me permite, também gostaria de lhe dar uma dica: evite a palavra “conscientizar”. Ela também demonstra uma certa pobreza de vocabulário.

      • Rônei says:

        Acho drogado mais abrangente do que toxicômano (mais relacionado com usuários de drogas ilícitas)…. Mas, enfim, protestozinho meia boca, com cara de obaoba sem causa. Pra vergonha das feministas dos 1970 que tomavam porrada da polícia enquanto lutavam pra deixar de ser mero objeto de desejo e diversão para os homens….

      • Rônei says:

        1. ” Talvez você mesmo faça comentários do tipo e talvez nem perceba, porque, em geral, homens fazendo piadas e comentários pejorativos sobre mulheres e gays, por exemplo, é socialmente aceitável, né…”

        De onde vc tirou que eu concordo com essas asneiras?

        2. O que vc quis dizer com “abastardo”? a) Bastardo = Filho não legítimo; b) Abastado = Afortunado, Endinheirado.

      • Nina Puglia says:

        2. Foi um mero erro de digitação. A palavra é “abastado”.

        1. Em momento algum eu disse que você concorda. O que eu disse é que por ser uma coisa tão banalizada, nem sempre se percebe que se está fazendo um comentário pejorativo ou preconceituoso.

  3. Rônei says:

    Marcha para a Educação? Para a Saúde? Ah, pra quê? Desde quando playboys de escolas particulares, crescidos à base de Danoninho e Leite Ninho e com Planos de Saúde pagos pelo papai tem consciência desses problemas graves e históricos no país…. Ativismo classe média alienado e sem causa.

    Espero que consigam conscientizar os estupradores….

    Outra coisa. Faz um favor? Esqueça que existe essa palavra “intuito”. Ô palavra feia. Se for o caso, use “objetivo”, “meta”, “finalidade”…. Intuito é atestado de pobreza de vocabulário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: