Lançamento do livro de Poemas “Do universo rabisco o mundo” de Raphael Rocha

Release_ Do Universo Rabisco o Mundo (poemas)

 Litteris Editora (selo Quártica Premium)

Do Universo Rabisco O Mundo. Esse é o nome do livro de estréia do jornalista mineiro Raphael Rocha. Mas, que rabisco é esse? E esse mundo? E esse universo? Na obra, o escritor oferece ao leitor o contato com a poesia do dia, mostrando que a poesia não se restringe a literatura. A poesia é o dia. O instinto. O delírio da palavra. A falta. Estrada. A preocupação de Raphael com questões relacionadas ao tempo, a própria condição humana, a espera, o medo, as dúvidas, os limites e deslimites da palavra e  do ser humano, é bem clara no livro. Como no poema Morte-Vida, em que reflete sobre a dualidade do ser no espaço temporal e conclui: “O tempo morre na minha hora/ Quando é hora de não ter mais tempo/ No tic-tac da vida/morre a vida no tempo/no tic-tac do tempo/morre o tempo de vida”. Como anuncia já no inicio do trabalho, não vai falar de tudo que entende e também não entende tudo que fala, mas faz, fala, assina, porque tem a necessidade de pôr pra fora. Raphael costuma dizer, que o verso, a poesia já estava ali o tempo todo, e que ele é apenas um canal entre a idéia que está em qualquer lugar e o papel. “As ideias estão e são para todo mundo, é só olhar com mais atenção”, diz. Como alerta no poema Sinais: “Há tantos sinais vagantes nas ruas dessa capital/ no entanto/ essa gente apressada/ só vê o sinal que para/ e dispara/ o trânsito”. Em seu trabalho de estréia, prefaciado pela jornalista e escritora mineira Clara Arreguy (Estado de Minas e Correio Braziliense) podemos encontrar uma preocupação, ou uma necessidade de falar da e, com a palavra. Raphael utiliza bastante os recursos da metalinguagem, do meta poema, como se vivesse a página e escrevesse a vida. E talvez seja isso. O que de certa forma não só ele, como todos nós fazemos o tempo todo. Como quando diz, “Hoje acordei com vontade de letra/querendo ser mais/querendo ser sílaba (…)” O que diz é do desejo que nos guia até os últimos dias, é sobre aquilo que nos move. O poeta é isso, coisa na página e a página, a escrita de Raphael é coisa de mundo, no mundo. A capa desenhada pelo próprio autor é como a poesia em seus versos: pode ser que seja isso mesmo, pode ser que seja outra coisa, pode ser nada. Não se deixe enganar pela arte da capa que traz a ideia de ‘identidade’ na imagem da digital. Seria um erro muito fácil. Lugar comum. A identidade é apresentada em negativo, o que na fotografia é um processo onde é feito uma inversão do claro para o escuro e vice-versa. O negativo pode ser ainda a recusa, a ausência, a abstenção. E o bacana é que essa imagem da identidade ampliada traz a ideia também, de galáxia, via láctea, universo, se observarmos as elipses da digital. Cada um pode encontrar uma identidade de si, pra si, consigo mesmo, nesse livro e com o próprio autor e, com outras coisas. Nesses poemas, seus primeiros sinais, primeiros rabiscos, passos nesse caminho foram dados, erros, acertos, tentativas, pontos de vistas, ironias, a qualidade de observar minuciosamente, qualidade do jornalista, talvez para chegar ao mundo que tanto almeja ou apenas pra dar vida ao mundo que ele vê; ao universo que ele é. Essa sua primeira impressão deixa claro à que veio o autor; pra dar voz a vida-folha-branca.


Serviço_ 

Pré-lançamento: 20/08/2011 – Centro Cultural Clara Nunes_ Caetanópolis, Minas Gerais. A partir das 14hs. (Sessão de autógrafos)

Lançamento Oficial: 03/09/2011 – Bienal do Livro do Rio de Janeiro. A partir das 13h. – RIO CENTRO, Rio de janeiro (Sessão de autógrafos e conversa com a imprensa)

Lançamento Belo Horizonte 15/09/2011: Butiquim Desde 1999. Rua Mármore, 758. Bairro: Santa Tereza. A partir das 19h30. (Sessão de autógrafos e conversa com imprensa)

Lançamento Brasília 19/10/2011: Senhoritas Café. SCLN – 408 norte. Bloco E. Asa Norte – Brasília/DF (Sessão de autógrafos)


O livro vai ser vendido pela internet através do email: raphaelrch@gmail.com. w3.imprensa@gmail.comou pelo site da livraria da editora http://www.livrarialitteris.com.br/default.asp?produto/538/DO_UNIVERSO_RABISCO_O_MUNDO_-_RAPHAEL_ROCHA 


 


O autor_ 

Raphael Rocha nasceu no dia 14 de março de 1986, em Belo Horizonte (MG). Viveu a infância e os primeiros anos da juventude no interior do estado, entre as cidades de Caetanópolis e Paraopeba (terras de Clara Nunes). Em 2005, retornou para BH, onde em setembro de 2009 se graduou em jornalismo. Atualmente, vive em Brasília onde trabalha como jornalista no Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Além de escrever, Raphael também se dedica a música. Em Minas, com sua primeira banda, teve uma de suas composições selecionada para um festival nacional. Entre mais de 500 inscritos de todo o país ficou entre os 20 finalistas. Na capital do país, o jornalista montou em 2011, a banda Scarlet Saves the Day, que em pouco tempo, já conseguiu se apresentar nos melhores pubs e boates do planalto central. No momento, estão produzindo o primeiro EP.


Contatos_ 

raphaelrch@gmail.com

scarlet.saves@gmail.com

Facebook do autor: http://www.facebook.com/raphaelrch
Site oficial: http://www.myspace.com/scarletsavestheday
Twitter: http://twitter.com/#!/scarletsaves
Youtube: http://www.youtube.com/user/scarletsavestheday

 

Anúncios

Sobre Octavio Schwenck Amorelli
geógrafo músico cineasta

One Response to Lançamento do livro de Poemas “Do universo rabisco o mundo” de Raphael Rocha

  1. bruno prates says:

    revolucionário,BRASILEIRO,eterno PRA quem pode vê-lo além da carne humana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: