QUERO TOCAR NO GRITO ROCK BRASÍLIA!

se é isso que você sente…
se você quer tocar no GRITO ROCK BRASÍLIA
basta inscrever sua banda no portal TOQUE NO BRASIL
www.ToqueNoBrasil.com.br

O grito rock brasília acontece de 24 a 27 de Fevereiro! com um total de 27 bandas! 13 de Brasília e outras 14 de fora!

inscreva sua banda no portal TOQUE NO BRASILhttp://www.toquenobrasil.com.br

SEJA TAMBÉM UM VOLUNTÁRIO NO GRITO!!!!

OU FAÇA A COBERTURA DO GRITO!!!!!

PARA INFORMAÇÕES SOBRE AS OUTRAS 130 CIDADDES QUE RECEBEM O GRITO ROCK ENTRE EM http://www.GRITOROCK.com.br

“El Topo” ou seria “On the go…” olha só a TEREZA

Tereza é uma menina-moça-mulher que, aparentemente, nunca deu para cinco bons amigos nada além da idéia de nome para a banda. E, talvez, pela banda ela continue sem dar… Afinal… Todo começo tem um fim… e mulheres… digo… relacionamentos… podem acabar com bandas, né yoko? Mas é perceptível pelo tom das letras que tanto a Tereza quanto outras mulheres fazem parte do primeiro disco da banda TEREZA, aquela de Niterói…

O ep “El Topo” ou seria “On the go…”, como acusou o som do meu carro lançado há quase um ano é um apanhado de canções pop que evocam amores, desejos e alegrias da vida…

Quem é a garota engraçada?

Será que ele topou sair para jantar?

Será que ela come camarão?

Pois eu gostaria de levá-la a Ilha Banango, e lá esses pulam nos pratos…

 

Bem… Não é a toa que elegi Tereza entre as bandas do podcast com os melhores de 2010, “El Topo” é um dos discos mais legais do cancioneiro pop de araribóia e do Brasil contemporâneo independente. Ao som desse ep se percebe um pouco de Kings Of Leon, Cachorro Grande, Strokes, Beatles, Paralamas, Moptop…

Bem o recado é esse…

Escutem TEREZA… escutem…. e não esqueçam de sintonizar a Rádio Recordar…

Podcast Esquina & Os melhores de 2010 – Parte 2 – Pop, Grunge, Indie…

PODCAST COLETIVO ESQUINA
COM OS MELHORES DE 2010
com Nina Puglia, Octávio Schwenck e Fernando Jatobá

Opa e aí? Como estão vocês?
fico feliz de ver que muita gente gostou da primeira parte com metal do satanás, hard rock eletrônico e os northern beats…
ENTÃO dando continuidade ao trabalho
apresento-lhes a 2ª parte do Podcast Esquina & Os melhores de 2010 – Pop, Grunge, Indie

nesse bloco o papo se voltou para um som mais pop e de garagem

temos Vinil Laranja, Watson, Móveis Coloniais de Acaju, Vitrine…
eis o setlist
01 – VINIL LARANJA – My Babe is my Gun

http://www.myspace.com/vinillaranja

02 – WATSON –  Emitivi Apresenta
http://www.bandawatson.com.br/

WATSON
WATSON

03 – LAFUSA – Todas as Metades
http://lafusa.net/

04 – MÓVEIS COLONIAIS DE ACAJU – O Tempo
http://www.moveiscoloniaisdeacaju.com.br

05- MÓVEIS COLONIAIS DE ACAJU –  Enter Sandman (Adoro Couve – Metallica)

06 -MÓVEIS COLONIAIS DE ACAJU –  Everybody (Adoro Couve – Backstreet Boys)

07 – TEREZA –  Noite de Herói
http://www.myspace.com/bandatereza

08 – NEVILTON – Pressuposto
http://www.nevilton.com.br/

 

09 – NEVILTON – O Morno
http://www.nevilton.com.br/

10 – DARSHAN – Bem Distante
http://www.myspace.com/bandadarshan

11 – VITRINE – Esther
http://www.myspace.com/vitrine

 

VITRINE

VITRINE

12 – VITRINE –  Zero Hora
http://www.myspace.com/vitrine

10 músicas de 2010, de Renato Nunes

As 10 músicas que mais curti em 2010 sem ordem de preferência. Para ouvir, clique no nome da música. Lá vai:

Vice – Enema Noise
O Enema Noise é uma das melhores bandas derock pesado do Brasil. Guitarras arrasadoras, vocais saturados de efeitos, bateria porrada. Esse é o lado B do single Barbwire. Pauleira, mas que roda com desenvoltura tanto no player de casa, quanto no palco de um show ou na pista de uma balada. Ponto para Lamim e seus comparsas de maldade.

Good old Johnny – Turrón Presidencial
Banda que descobri no apagar das luzes de 2010. Rock eletroacústico sessentista com pé no folk. Sonoridade agradável, instrumental redondinho, ótimos arranjos e vocais muito bem trabalhados. Ótima surpresa que incluo sem medo entre as minhas músicas preferidas de 2010.

Virtual Vinil – Casa de areia
É legal quando uma banda resolve seguir um caminho totalmente distinto da regra mainstream e da regrinha indie. Nessa música a banda faz um sopão de referências que vão de Jesus and Mary Chain, passa pelo pré-grunge do Sonic Youth. Bom BG para tuítadas insones.

Indivíduo – Velhos e Usados
O Velhos e Usados tinha um diferencial interessante. Gostavam de experimentalismos de estúdio, aquela coisa de laboratório mesmo. O resultado foi um hard rock com elementos eletrônicos, de guitarras poderosas, cozinha arrasadora e vocais muito bons. A banda acabou no fim do ano, mas a obra fica.

Tereza – Todo começo tem um fim
Quem acha que não existe banda com potencial pop no meio independente, está redondamente enganado. A niteroiense Tereza é um dos exemplos mais claros disso. Rock despretensioso, dançante e de refrões que pegam.

Superguidis – Não fosse o bom humor
Instrumental poderoso valorizado pela excelente produção de Philippe Seabra e, à frente, um vocalista excelente. A letra pode não ser daquelas que se sai cantando de primeira, mas tem simpatia pop e honestidade rocker.

Sociedade Bico de Luz – Eu tenho uma banda que quer ser Strokes
A maior fábrica de hits do rock independente brasileiro. A música é sensacional. A interpretação do Igor Almeida e a brincadeira com os arranjos são geniais, na falta de outra palavra.

Lucy and the Popsonics – Multitarefa
Nervosismo, ansiedade, tensão, urgência urbana. A banda retrata esse cotidiano terrível fazendo piada consigo mesma nessa música. Guitarras distorcidas, letra angustiada e refrão cuidadosamente açucarado. Sem perder o vigor.

Cassino Supernova – Deustch Küshen
Outro single lançado no finzinho do ano. Rockão, com pé nos 1970, com bom refrão, instrumental afiadíssimo e vocal diferenciado. Banda promissora.

Cabeza de Panda – Café e pasta de dente
A música é quase uma “A day in the life” versão tropical. As referências à psicodelia sessentista, de Beatles e Brian Wilson, no entanto, não deixam que esse lamento urbano pós-ressaca caia na vala comum das cópias.

 

Congresso Fora do Eixo e Jambolada 2010. uma boa viagem.

texto, videos e fotos: Octávio Schuenck Amorelli

Antes de tudo
Esse post se perde em palavras e tempo… começou  a ser redigido no dia 18 de outubro e por inúmeras vezes as redes de blog bem como minha máquina se recusaram a aceitá-lo. Uma intervenção cósmica, talvez. Proibindo sua publicação. Vai saber…

Mas assim começará:

uma boa viagem.

era isso que eu esperava.
Então fomos lá Fernando Jatobá, João Paulo Campo e Octávio Schuenck, do Coletivo Esquina (DF) juntos de Vanildo, do Dona Zefinha – RedeCEM e Yuri Malcher, guitarrista da Paris Rock e membro do Megafônica de Belém do Pará.
420 km, 3h30 dirigindo no uninho que minha mãe não veja isso. fiz questão de comandar a trilha sonora da viagem com Rinoceronte, Cachorro Grande, Arctic Monkeys, Tereza, Móveis Coloniais de Acajú e etc.

Então antes das 10h da segunda-feira, 11-10, estávamos lá na Universidade Federal de Uberlândia, sede do evento, ambiente que sediou momentanemente  as idéias que transformam a cultura nesse país, e em alguns outros!
Eu sou o novato no Esquina, e no fora do eixo.
então rolaram uns momentos: “tá vendo, aquele ali é o Pablo Capilé! ” “Essa ali é a Marielle” “Ta vendo todas essas mulheres, elas são a sustentabilidade do movimento, elas encabeçam tudo” “Aquele ali é o Talles”
um tanto de nomes que eu tinha apenas lido na internet .

foi aí. Começou o 3º Congresso Fora do Eixo e que congresso!
Muitos retrospectos, muitas idéias, algumas boas outras nem tanto… mas foi bom ter essa tempestade  toda… agora estamos aqui assentando as idéias com calma.
Foi muito bom ouvir Claudio Prado soltar diariamente pílulas de sobrevivência, pérolas espirituais e de vivência

“Não é a Maconha que leva ao crack. É o leite. Todo mundo começou com o leite.”
Claudio PRADO 2010

Ou os estados e dimensões de vivência necessários, pois há uma nova dimensão entre o tempo e o espaço: é o TESÃO.
Com certeza esse cara é genial! E é essa genialidade que habita ou pode habitar a todos que estão ligados a esse movimento.

Foram muitas revoluções por hora… Mentais… Algumas que bagunçam  as idéias outras um tanto esclarecedoras… e idéias loucas…. cara… dinheiro que não é dinheiro do governo… CuboCard, GomaCard, Palafita, Lumoeda….

Agora que as idéias tão mais sólidas é possível  ver que o congresso Fora do Eixo foi na verdade uma terapia de grupo, um encontro para motivar e manter o circuito.

Mas ó… para um congresso que reuniu quase 300 músicos e produtores faltou música hein! Todos, e nessa me incluo, levaram o seguinte pensamento “ah, nem vou levar minha viola… com certeza alguém vai levar… e aí fazemos um som” Eu vi talvez um só violão no congresso com Vitoriano… e faltaram jams! Rodas! Ensaios abertos…

Mas talvez faltasse tempo para tanto, e por outro lado a “falta” de música no congresso fez com que a vontade de tocar, publicar, gravar, compor aumentasse. Garanto que aumentou muito. A volta para Brasília garantiu a (re)criação de antigos projetos musicais

E terminou muito bem, hein? JAMBOLOVE… digo….  Jambolada 2010

CABRUERA, DOM CAPAZ, FALSOS CONEJOS, EMICIDA, OTTO, AUTORAMAS, PORCAS BORBOLETAS, CAMARONES ORQUESTRA GUITARRISTICA…

Shows sinestésicos… cores, danças e sons… forró esferográfico, pé na porta e soco na cara, semáforos, a 300 km/h,

A WebTv Fora do Eixo fez a cobertura do Festival e você pode conferir aqui

Para não dizer que o congresso não teve m´suica, um dia antes do Jambolada o Espaço Goma realizou o que foi a sua última noite fora do eixo em sua sede
E ficam aqui alguns vídeos dessa noite:

Tereza faz um “Ilha Banango” a capella no Bar


http://www.youtube.com/watch?v=EILhzHQMaR8

Pós show da noite fora do eixo… e todos somos amigos….

http://www.youtube.com/watch?v=FeITpAN2YTw

Música nova da Tereza na Noite Fora do Eixo em Uberlândia

http://www.youtube.com/watch?v=_HDZMeiCrfU

Foi um prazer estar nesse congresso… e vamos continuar na batalha.
Saudações Esquineiras!

%d blogueiros gostam disto: